Está pensando em começar um projeto na área do stress e qualidade de vida?

No Brasil, muitas empresas já possuem programas de controle de stress para funcionários, porem ainda há uma grande necessidade de que estas ações sejam implantadas na grande maioria delas.

Fornecemos a seguir algumas sugestões sobre passos que tem se mostrado bastante úteis na implantação de programas corporativos anti-stress que o IPCS tem atuado como consultor.

As sugestões se dividem em quatro tipos de medidas: (1) as preliminares, 2) as relativas ao planejamento estratégico, (3) as de implantação, (4) as de avaliação e (5) as reestruturações.

1. PRELIMINAR

Definir se há necessidade do programa. Para tal os seguintes indicadores podem ser úteis:

INDICADORES

• Incidência aparente de stress;
• Sintomatologia observada nos funcionários;
• Custos médicos;
• Queda da produtividade;
• Absenteísmo;
• Presenteísmo ( o funcionário que está fisicamente presente mas não produz);
• Rotatividade;
• Acidentes de trabalho;
• Sofrimento no trabalho;
• Dificuldades interpessoais de funcionários;
• Índices de hipertensão, diabetes, farmcodependência e obesidade.

2. PRELIMINAR

Só se deve iniciar uma ação tão importante como um programa anti-stress quando se tem alguma garantia de que se terá o endosso e os meios para sua realização. Há recursos financeiros para implanta-lo?

Os funcionários poderão tirar alguns minutos por dia para participarem dos exercícios?

As pessoas encarregadas do programa terão tempo hábil para implementa-lo e acompanhar o seu desenvolvimento?

3. MEDIDAS DE IMPLANTAÇÃO

Esta etapa deve começar com uma atividade motivadora que marque o inicio do programa.

Recomenda-se que esta atividade seja realizada por um palestrante externo e com a presença de diretores ou dirigentes, a fim de motivar mais os participantes.

4. MEDIDAS DE AVALIAÇÃO

É absolutamente indispensável fazer o monitoramento da eficácia do programa conforme ele for se desenvolvendo e, de um modo mais completo, seis meses após a sua implantação.

Neste momento, devem ser aplicados os testes de stress e de qualidade de vida.

Estatísticas sobre os parâmetros coletados como indicadores antes do início do programa devem ser reavaliados também nesta ocasião.

5. MEDIDAS DE REESTRUTURAÇÃO

A avaliação do stress e de qualidade de vida, realizada mais ou menos seis meses após a implantação do programa serve como guia para a modificação de possíveis falhas ou acréscimos de novas ideias que garantam o sucesso do programa em longo prazo.

Na ocasião, estatísticas sobre mudanças observadas necessitam ser apresentadas à alta chefia a fim de que tenha acesso à comprovação da eficácia do programa anti-stress implantado.

O IPCS utiliza para avaliação em seus projetos de implantação desses programas não só o Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp, mas também o Inventário de Qualidade de Vida de Lipp, de uso exclusivo em seus projetos.

Nossas estatísticas mostram grande sucesso neste modelo de implantação de programas de prevenção de stress no trabalho tanto em empresas publicas como privadas.

AGENDE UMA REUNIÃO E SAIBA MAIS SOBRE OS SERVIÇOS DO IPCS

Campinas (19) 3234 0288
São Paulo (011) 3288-0782.