TRANSTORNOS FÓBICOS

Entende-se por fobia a sensação de um medo insistente e exagerado de uma determinada situação ou de um objeto que não representariam perigo sob a avaliação de outrem.

Esses medos costumam levar o indivíduo a evitar as situações que ele considera fóbicas. Os pacientes, em seus relatos em sessão terapêutica, avaliam que o medo que têm é irracional. Considera-se que o que é aprendido pode ser desaprendido. Mas, enquanto o indivíduo não possui ferramentas para lidar com eventos fóbicos, sua rotina é perturbada por situações não adaptativas.

O transtorno fóbico pode ser compreendido em fobia simples (medo de um objeto ou situação) ou fobia social (o indivíduo tem consideráveis dificuldades de enfrentamento de situações sociais novas e diferenciadas).

A abordagem cognitiva comportamental se ocupa do tratamento clínico dessas fobias, muitas vezes associando o trabalho a encaminhamento a profissionais da área da saúde mental que possam ser responsáveis por medicar esses pacientes durante o período de atendimento em psicoterapia. São utilizadas técnicas mistas para cada caso e avaliada a melhor forma de atuação clínica que possa gerar efetividade e redução do tempo de atendimento.

sem-capa

Márcia Pinto